Já mudámos a vida de muitas famílias. Agora podemos mudar a sua também.

25 de fevereiro de 2008

Emissão # 703 - “Pela primeira vez, partiu-se uma lareira!”

Depois





Este é um programa histórico: além da lareira, pela primeira vez o Querido recebeu a visita da Polícia


A Raquel Dias candidatou-se ao QUERIDO MUDEI A CASA! porque achava que a sala da casa de sua mãe precisava de uma remodelação. Segundo ela, os azulejos da sala eram horrorosos! Com a ajuda do namorado da mãe, que se tornou cúmplice da situação, a Raquel e os queridos prepararam uma grande surpresa à Isabel. Ela acha que o pavimento torna a sala muito escura e que a lareira não é utilizada porque deita fumo para fora. Gostaria de manter a cadeira de baloiço, uma serigrafia e o candeeiro de tecto (lustre), porque foi o avô que fez. A decoradora Beatriz Leones teve uma ideia genial: partir a lareira! Uma ideia muito arrojada! Para ela, a sala era fria , triste, horrorosa…O João Benedito precisou chamar reforços para partir a lareira. Mas não conseguiu encontrar ninguém. Esta lareira era um espaço morto na sala, não tinha funcionalidade. Esta foi a primeira vez que o QUERIDO MUDEI A CASA! partiu uma lareira. Foi um momento histórico! No lugar da lareira foi colocado um móvel feito sob medida. Pela primeira vez também, o QUERIDO recebeu a visita da Polícia. Os vizinhos reclamaram do barulho e chamaram-na. Essa é uma questão muito delicada para o QUERIDO, pois quando a obra a ser realizada é em um prédio, como na maioria das vezes, é difícil evitar barulho após as 22:00hs, como manda a lei. Haviam ainda muitos furos por fazer, e já passava do horário permitido. A obra terminou as 3:30 da manhã. A Beatriz manteve o estilo clássico contemporâneo, que era como o resto da casa toda. Só o sofá, a cadeira de baloiço, o quadro e o lustre é que permaneceram, como a Raquel gostaria. O pavimento foi trocado por soalho flutuante, e nas paredes, por cima dos azulejos, foi colocado um lambrim branco. O resultado final foi uma transformação surpreendente.
Reactions:

0 commentários:

Enviar um comentário